Servidores ICMBio

Fórum destinado às discussões sobre temas que envolvem os servidores do ICMBio. Fórum democrático que visa a troca de idéias e a ajuda mútua entre os servidores. Não tem nenhuma ligação com as Diretorias do Instituto.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Os Répteis do Rio Grande do Sul: atuais e fósseis, biogeografia, ofidismo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 400
Data de inscrição : 25/02/2008

MensagemAssunto: Os Répteis do Rio Grande do Sul: atuais e fósseis, biogeografia, ofidismo   Sab Mar 15, 2008 3:19 pm

Os Répteis do Rio Grande do Sul: atuais e fósseis, biogeografia, ofidismo

(ricas fotos coloridas) Hoje em dia fala-se muito em dinossauros, répteis gigantescos da era secundária, mas poucos sabem que nas antigas terras do Rio Grande do Sul também viveram alguns desses répteis e mesmo dinossauros, si bem que poucas espécies de porte menor que os famosos tiranossauros, e.g. Todos temem as cobras (serpentes), mas poucos sabem que existem poucas espécies que possuem veneno mortal ao homem e animais domésticos. Na preparação de soldados e pessoal ligado à trabalhos de engenharia de estradas, barragens (e.g.) e agrônomos e veterinários, muito ensina-se sobre a distinção de uma serpente peçonhenta de uma inofensiva mas, o que se vê é que poucos sabem fazer essa distinção na prática. Muitos ficam nervosos com picada de uma serpente peçonhenta e cometem erros que pode ter seqüelas ou mesmo desfecho fatal! Há uma infinidade multicolorida de cobras (serpentes) andando pelos campos, pelas árvores ou nos banhados e as pessoas em geral temem-nas, sem se deterem sobre sua real periculosidade, deixando de observar aspectos muito interessantes da vida desses. As tartarugas, cágados e jabutis, representantes de uma antiga estirpe reptiliana que se perde na noite dos tempos, são seres que estagnaram na evolução biológica: os representantes fósseis pouco diferem dos modernos, em sua morfologia óssea. Crocodilos, gaviais e aligatores ou jacarés, estirpe dos mais poderosos répteis que dominaram o planeta nas águas, campos, matas e até nos ares, estão em extinção no mundo moderno e nosso Estado tem, a rigor, uma só espécie, o famoso jacaré do papo amarelo cuja área de ocorrência extende-se até o nordeste através do Brasil oriental. É representante horizontal dos arcossáurios mantendo estreitas relações anatomo-fisiológicas com as Aves.

Autor: Lema, Thales de
Ano: 2002
Páginas: 166
Preço R$ 96,00

Onde Comprar: http://www.useb.com.br/detalhes_livro.asp?id_livro=256
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://icmbio-servidores.forumeiros.com
 
Os Répteis do Rio Grande do Sul: atuais e fósseis, biogeografia, ofidismo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Brasil] Esquadrão Onça, da Base Aérea de Campo Grande, comemora 40 anos
» "Os aviadores" - Grande Reportagem SIC
» Ilha Grande: voando em um paraíso.
» Brinquedo de gente Grande
» diferença entre os selos 100 réis cabeça grande e pequena 49, 54 e 55

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Servidores ICMBio :: Bibliografia Sugerida :: Fauna - Bibliografia :: Répteis - bibliografia sugerida-
Ir para: